Maratona de Lima: corrida, cevice, pisco sour e parcerias.

No último 18 de maio nosso grupo embarcou no Aeroporto Salgado Filho rumo a Lima para participar da décima edição da Lima 42k, prova na capital peruana, que oferece três opções de distâncias: 10, 21 e 42 km. Com opção de voo direto (apenas 4 horas de Porto Alegre), embarcamos na expectativa da prova e, claro, conhecer as atrações da cidade, que vão muito além do pisco sour e do cevice.

A expo da maratona fica no belo Parque de la Reserva, e como não chove em Lima (a média anual é de 8 mm), pode-se aproveitar pra ficar curtindo as atrações: shows, palestras, etc. A entrega dos kits é muito organizada, rápida e há algumas opções legais de lojas de material esportivo.

Em 2018 foram cerca de 17 mil participantes nas 3 provas, a altimetria dos 21 e 42 km tem algumas “pegadinhas”, pois há uma leve descida até os 16 km da meia e 26 km da maratona. Depois disso paga-se o preço subindo, mas o trajeto é muito bem organizado e a estrutura da prova (pré e pós) é excelente. Há alguma confusão nos postos de hidratação onde são oferecidos água e isotônico, fica difícil identificar, pois são entregues juntos pelos staffs que ficam gritando “água”, “Gatorade”, com os copos na mão.

 

O clima em Lima é muito estável, sempre com temperatura entre 16 e 18 graus e sem chuva. Normalmente há uma neblina na cidade, principalmente nas primeiras horas do dia, o que favorece os corredores. Se a temperatura atrapalha um pouco ela é compensada pelo público nas ruas e pelas atrações musicais da organização, pudemos observar diversas ações dos patrocinadores para animar o percurso e muitas pessoas nas calçadas oferecendo água, frutas e apoiando os corredores.

O aluno Sandro Duarte diz que sua experiência foi ótima, principalmente por viajar em grupo e poder integras as famílias. Com relação a corrida, ele correu os 21 km: “é prova para superar expectativas pois vai, literalmente, descendo até o km 16, o que facilita muito. A partir dali, com a subida, dá uma quebrada, que é natural.” Para ele a cidade surpreendeu positivamente com suas belezas naturais, as praias, pôr do sol no Pacífico e a culinária de primeira linha (uma das mais premiadas do mundo). Conclui que os 4 dias em Lima foram pouco, sem falar que ainda ficou faltando o famoso passeio até Machu Picho.

 

Maratona de Lima 2018 - Galgos

Outro aluno que participou da prova com a esposa, também aluna, Denise Arruda foi o advogado Ney Arruda Filho, o texto a seguir é a impressão dele sobre a Maratona de Lima:

Corrida não é o meu forte. Sei lá se tenho algum “forte”. Mas nos últimos tempos tenho acompanhado o grupo Galgos porque a minha mulher corre. E como corre! A corrida tem me proporcionado agradáveis surpresas. Portanto, vou me limitar às surpresas, sem aquele xalalá de condicionamento, de saúde e sei mais lá o quê. Além de observar o empenho e a disciplina com que o pessoal do grupo busca atingir as suas metas, os encontros e as despedidas são sempre marcantes. Desde os treinos, passando pelas palestras, almoços, churras e pizzas, o grupo uniu pessoas de diferentes credos e formações. E essa mistura dá um caldo muito interessante e saboroso. Gente que veio pra ficar, gente que foi pra nunca mais.

A surpresa mais recente se deu em Lima, onde a Denise estreou na meia e eu segui no meu “tranquito” dos 10 km. Acompanhei a preparação dela, inclusive fui de aguateiro em alguns longos. Por isso, compartilhei da satisfação da conquista, o olho dela brilhando, tudo ao lado dos parceiros que lá estiveram. Como eu não consegui (por razões variadas) me preparar adequadamente, nem mesmo seguir a planilha do profe, deu pra sentir bem a diferença que faz a preparação. “Uma meta sem planejamento é apenas um sonho”, já me disse a Luisa. Cheguei morto nos 10 km, enquanto ela chegou inteira nos 21 km. Quando as minhas pernas voltarem a dialogar comigo, vou pensar em iniciar os treinos.

De qualquer forma, a prova foi muito boa, desde a temperatura ao percurso, com a ressalva negativa dos pontos de hidratação. A experiência na cidade também foi muito bacana, visitando lugares e compartilhando as impressões de cada um sobre o que viu e sentiu. Dá pra repetir certo!